Quetiapina: para que serve, quais os efeitos e como usar?  

quetiapina

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Ei, fique atento: os perigos da automedicação são reais e podem gerar sérias complicações para a sua saúde. As informações a seguir não substituem o acompanhamento cuidadoso do médico e do farmacêutico no tratamento. 

“Psicofármacos”: você já ouviu falar no termo? Embora a palavra possa assustar – e trazer à tona os tabus da saúde mental -, na prática ela se refere aos medicamentos indicados para aliviar o sofrimento psíquico, aumentando a qualidade de vida e o bem-estar de milhões pessoas. Nessa categoria de fármacos, se encaixa o antipsicótico quetiapina, que, entre outras indicações, é voltado principalmente ao tratamento da esquizofrenia e do transtorno afetivo bipolar (TAB).  

Vale destacar, sem estigmas e com uma boa dose de acolhimento, que essas enfermidades são muito mais comuns do que se pensa: o TAB atinge cerca de 140 milhões de pessoas no mundo, enquanto a esquizofrenia, ainda que mais rara, afeta 23 milhões de pessoas globalmente, sendo 2 milhões de brasileiros. 

Não para por aí! Além de tratar as duas doenças, a quetiapina pode ser recomendada para amenizar a insônia e a ansiedade na sua forma leve, assim como auxiliar no tratamento da depressão profunda (transtorno depressivo maior).  

A seguir, respondemos às dúvidas mais frequentes sobre o remédio, incluindo indicações, mecanismo de ação no organismo, possíveis efeitos adversos e muito mais. Vamos lá?  

Quetiapina: tudo o que você precisa saber sobre o medicamento  

quetiapina

Disponível na forma de comprimidos, a quetiapina é encontrada nas doses 25 mg, 100 mg, 200 mg e 300 mg. Há, ainda, os comprimidos de liberação prolongada, que se apresentam nas doses de 50 mg, 200 mg e 300 mg. O medicamento é vendido apenas com receita médica, que deve ser retida pela farmácia. 

De maneira geral, é indicado para o uso em adultos, embora possa ser recomendado para crianças e idosos em casos específicos.  

Tira-dúvidas: o que são medicamentos de liberação prolongada? 

Trata-se de uma versão de medicamentos desenvolvidos para transferir o ingrediente ativo de forma gradual. O efeito esperado, assim, é promovido com a liberação do ativo de tempos em tempos, que vai sendo absorvido pela corrente sanguínea e distribuído pelos diferentes órgãos do corpo, dentre eles o cérebro.  

Além de reduzir a frequência de uso do remédio (em comparação às formulações de “liberação imediata”), esses medicamentos ajudam a minimizar os efeitos indesejados. 

Quetiapina: para que serve?  

O remédio é indicado para tratar a esquizofrenia em adultos e adolescentes (13 a 17 anos) ou os episódios de mania relacionados ao TAB (adultos e crianças de 10 a 17 anos).  

Para adultos, a quetiapina também pode ser receitada para controlar os demais episódios de bipolaridade (depressivos e mistos). O uso associado a medicamentos estabilizadores de humor, a exemplo do lítio e do ácido valproico, é uma outra possibilidade.

Vale lembrar: o medicamento também alivia os sintomas da depressão grave em conjunto com outros antidepressivos, assim como pode ser usado para reduzir a insônia e a ansiedade.  

Afinal, como o fármaco age no organismo?  

O mecanismo de ação da quetiapina, como o de muitos outros fármacos, ainda não foi completamente esclarecido! Porém, sabe-se que a molécula de quetiapina bloqueia os neurotransmissores dopamina e serotonina no cérebro, o que pode explicar os efeitos positivos no tratamento da esquizofrenia.  

O ativo também atua na ligação dos transportadores de noradrenalina, um hormônio muito importante para regular diversos processos biológicos no nosso organismo. Esta é a provável razão por trás dos benefícios para tratar a depressão grave ou associada ao TAB.  

Além de controlar as oscilações típicas do transtorno bipolar, o medicamento inibe as alucinações nos casos das pessoas com esquizofrenia. Como resultado, quem faz uso da quetiapina sente redução na ansiedade e tem mais ânimo e energia para seguir com uma vida ativa.  

A eficácia antidepressiva normalmente é observada dentro de uma semana de tratamento, com melhorias contínuas que podem ser notadas por 6 a 12 semanas de uso do medicamento. Fica o alerta: caso você não note melhoria nos sintomas, não interrompa a medicação por conta própria. Procure a ajuda de um médico ou farmacêutico!

Quetiapina: nomes comerciais  

A essa altura, você pode estar se perguntando sobre as diversas maneiras como o medicamento é encontrado nas farmácias. Isso porque a quetiapina está disponível em nomes comerciais variados, a começar por “Seroquel” ou “Seroquel XRO”, que são os medicamentos de referência do laboratório AstraZeneca (sim, o mesmo da vacina contra a COVID-19!).  

*Tome nota: o Seroquel é a formulação de liberação imediata e o Seroquel XRO tem liberação prolongada.  

Na sua versão genérica, o ativo é encontrado como “Hemifumarato de Quetiapina”. Outros medicamentos similares são:  

  • Quetipin
  • Atip
  • Queropax
  • Quet
  • Kitapen
  • Queopine  

 

Tira-dúvidas: o que são medicamentos de referência? 

De acordo com a definição da Anvisa, o medicamento de referência é um “produto inovador, registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no País cuja eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente junto ao órgão federal competente por ocasião do registro (…)”.  

Na prática, são os remédios “originais”, ou seja, pioneiros na sua forma de atuação. Passados 20 anos do registro, os medicamentos genéricos e similares podem ser lançados no mercado.  

De olho nos cuidados: como tomar quetiapina? 

Antes de tudo, é importante ter em mente que a melhor forma de administrar o medicamento só pode ser aconselhada pelo médico ou farmacêutico, de maneira individualizada. De fato, cada caso é um caso: as doses de quetiapina e o horário de administração variam de acordo com a idade e o objetivo do tratamento. Como vimos, as indicações são diferentes e o mesmo pode ser dito sobre o uso.  

De forma geral, o remédio deve ser tomado por via oral, com ou sem alimentos, sozinho ou com outro medicamento. Lembre-se: podem ocorrer interações entre dois ou mais medicamentos em uso, por isso é importante conversar com o médico ou farmacêutico para ajustar sua rotina.  

Para insônia e ansiedade, a dose recomendada geralmente é menor (até 100 mg). Para depressão associada ao transtorno bipolar e esquizofrenia, as doses aumentam conforme a necessidade.  

Por sua vez, o uso de quetiapina para depressão profunda é recomendado em conjunto com outro medicamento ou de maneira isolada (nesse último caso, somente quando um antidepressivo não gera o efeito esperado ou não é bem tolerado).  

Contraindicações: quando NÃO tomar o medicamento?  

As contraindicações descritas em bula são bastante sucintas e diretas: o medicamento não deve ser utilizado por quem tem alergia ao hemifumarato de quetiapina ou quaisquer outros componentes.  

Além disso, sabe-se que há certo grau de risco para gestantes – em caso de gravidez, a medicação com quetiapina deve ser avaliada de perto por profissionais da saúde.

Vale ressaltar: algumas contraindicações ou pontos de cuidado não são esclarecidos em bulas ou em documentos de fácil acesso para o paciente, sendo restritos a médicos, farmacêuticos e outros especialistas. Converse sobre seu histórico de saúde com quem cuida de você!   

Efeitos adversos 

Em primeiro lugar, é importante dizer que os efeitos adversos da quetiapina podem variar conforme cada pessoa – ou mesmo não acontecer. Para evitar reações desagradáveis, a dose tende a ser menor no início do tratamento, aumentando gradativamente até o ponto desejado.  

O histórico de saúde, como não poderia deixar de ser, também é analisado com cuidado pelo médico e pelo farmacêutico. A esses profissionais, é importante comunicar questões como alergias e outras condições prévias. 

Após o início da terapia, possíveis pioras nos sintomas da depressão e alterações de humor podem ocorrer, sobretudo em pacientes mais jovens. A depender da situação, o uso do medicamento pode ser reavaliado. Não por acaso, o paciente pode e deve participar ativamente do seu tratamento.

Os efeitos mais comuns do medicamento podem incluir:  

  • Boca seca  
  • Tontura 
  • Vômitos e náusea
  • Constipação intestinal
  • Sonolência
  • Ganho de peso
  • Cansaço
  • Má digestão  

Fique tranquilo: não é preciso ter medo de utilizar o medicamento! 

Diante da lista de efeitos adversos, muitas pessoas podem manifestar resistência ao uso do remédio. É preciso ter em mente, no entanto, que se o uso foi devidamente analisado e indicado por um profissional da saúde, não há por que ter receio. 

O profissional que acompanha seu tratamento saberá de todos os riscos e avaliará continuamente a segurança do fármaco em uso. Ao menor sinal de perigo ou de danos à saúde – desde que eles superem todos os benefícios da utilização – a medicação pode ser suspensa.  

Diante de problemas de adaptação e reações indesejadas, sempre é possível pedir uma alternativa ao médico ou farmacêutico e discutir seu caso específico para realizar ajustes e melhorar a experiência. Fique tranquilo e siga todas as orientações no dia a dia! 

Quetiapina: dúvidas comuns  

Agora, vamos de “jogo rápido” para esclarecer algumas dúvidas recorrentes sobre o medicamento. Tome nota:  

Quetiapina dá sono?  

Em muitos pacientes, sim! Como vimos, a quetiapina tem a sonolência como um dos seus possíveis efeitos colaterais. Para prevenir e amenizar os episódios de mania, o fármaco atua diretamente no sistema nervoso central, reduzindo a ansiedade, a irritação e, sim, a insônia.  

Quetiapina para ansiedade: como funciona?  

De fato, a ansiedade é uma das indicações para o medicamento. Ao reduzir os sintomas ansiosos e a irritabilidade, a quetiapina melhora a rotina de determinados pacientes com o transtorno. Lembramos, ainda, que o ativo pode ser adotado em associação com outros antidepressivos ou de maneira isolada. 

Quetiapina engorda?  

Como pode aumentar o apetite, o uso do medicamento pode provocar o aumento de peso. Esse efeito, vale lembrar, é muito variável conforme cada indivíduo: o completo oposto (a redução do apetite) também é uma possibilidade! 

Aqui, o importante é avaliar os riscos e benefícios do uso do medicamento – o que será realizado pelo seu médico ou farmacêutico – e evitar, a todo custo, a suspensão do medicamento por conta própria! 

Quetiapina para insônia funciona mesmo?  

É importante ressaltar: a quetiapina não é indicada em bula para tratar diretamente a insônia. O que acontece é que a sonolência é um dos efeitos colaterais mais frequentes, fazendo com que o medicamento seja utilizado em doses baixas para induzir o sono em alguns casos.  

Assim como acontece com outros fármacos semelhantes, o uso continuado pode causar tolerância, o que exige doses mais elevadas para alcançar o efeito desejado. 

A quetiapina corta o efeito do anticoncepcional?  

Não, não há informações claras a esse respeito. Mas a quetiapina pode, ainda assim, interagir com outros medicamentos em uso, seja essa interação desejada ou não. Mais uma vez, reforçamos o alerta: é fundamental conversar com um profissional da saúde para tirar todas as suas dúvidas. 

Dicas rápidas para tirar o máximo do seu tratamento  

  • Diante da melhora nos sintomas, não suspenda o medicamento! Além de interromper os efeitos positivos, esse descuido pode agravar sua condição; 
  • Tome o remédio no mesmo horário, conforme recomendado pelo médico ou farmacêutico;  
  • Sempre respeite a dose correta. Se tiver problemas de adaptação, converse com seu médico ou farmacêutico para possíveis ajustes;  
  • Organize-se para evitar esquecimentos: um único dia sem a dose recomendada pode interferir na qualidade do seu tratamento.  

No mais, fica o lembrete: sua saúde e bem-estar estão acima de tudo e merecem um cuidado à altura. Esperamos que tenha gostado do conteúdo e esclarecido suas principais dúvidas sobre o uso da quetiapina!  

Para te ajudar na organização diária dos medicamentos, simplificar sua rotina e melhorar sua experiência com o tratamento contínuo, a Far.me conta com soluções exclusivas e um  acompanhamento farmacêutico pensado para você

Conte com a gente quando o assunto é viver o seu melhor no dia a dia. Até a próxima!  

* Para mais informações sobre o medicamento, acesse a bula completa aqui.

Gostou desse artigo?
Assine nossa newsletter!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Continue lendo

Gostou desse artigo?

Assine nossa newsletter para receber mais conteúdos

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email